Prof. José Renan de Medeiros recebe Prêmio Pesquisador Destaque da UFRN

O Professor José Renan de Medeiros do Departamento de Física (DFTE) foi o grande vencedor do Prêmio Pesquisador Destaque na área das Ciências Exatas, da Terra e Engenharias. O prêmio é promovido pela Pró-Reitoria de Pesquisa da UFRN e tem como objetivo valorizar os pesquisadores da instituição e suas contribuições para o desenvolvimento da ciência. O Professor José Renan de Medeiros é o líder do Grupo de Astronomia da UFRN, sendo pesquisador 1A do CNPq e membro da Acadêmia Brasileira de Ciências. Foi membro do comitê assessor de Física e Astronomia (CA-FA) do CNPq, membro do comitê de área de Física da CAPES, Chefe do DFTE e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Física (PPGF). Clique aqui para maiores informações.

Exame de Qualificação de Doutorado

Em outubro, teremos diversas defesas relativas ao Exame de Qualificação de Doutorado.
Clique nos links abaixo e acompanhe a programação!

O Futuro do Sol

Um grande obstáculo para a interpretação das idades e propriedades das estrelas gêmeas solares, assim como outras estrelas do céu reside na dificuldade de se medir as distâncias das estrelas. Isso é ainda mais complicado para estrelas observadas por telescópios espaciais como o CoRoT e KEPLER que vasculharam grandes distâncias em busca de estrelas fracas e que possuem sistemas planetários parecidos com o nosso.

Para estrelas análogas solares, idades podem ser inferidas através da rotação e a rotação por sua vez pode ser medida através das observações fotométricas realizadas com o satélite Kepler, porém a falta de determinação precisa do estado evolutivo destas análogas solares e das gêmeas solares observados pelo satélite KEPLER (NASA)  era uma questão até então não respondida pelos Astrónomos.

Usando dados obtidos pelo satélite GAIA, recentemente lançado pela European Space Agency (ESA),  e modelos físicos para estrelas também observadas pelo  satélite KEPLER  e através de análises baseadas em modelos físicos para medições em  séries temporais fotométricas, os cientistas publicaram resultados impactantes para o conhecimento das propriedades de estrelas similares ao Sol, porém  mais velhas.

O grupo internacional de cientistas liderado pelo Prof. José Dias do Nascimento Jr, da UFRN, atualmente no CfA-SAO Harvard,  revelam hoje em publicação no The Astrophysical Journal, o status evolutivo preciso para um grupo de gêmeas solares que rotacionam mais lentamente que o Sol e por isso mesmo mais velhas.  A pesquisa investigativa analisou distâncias através das medidas de  paralaxes do satélite GAIA e fotometria com o  satélite KEPLER. Foram mais de 30.000 estrelas observadas com o Kepler da NASA e com medições do períodos de rotação e análise de suas distâncias.  Por exemplo, estrelas mais massivas ou muito menores que Sol foram excluídas do trabalho.

“Das 30 mil estrelas  iniciais do programa, investigamos particularmente uma amostra de 193 estrelas análogos solares e reportamos seus períodos de rotação e destas, 125 nunca tiveram medidas de rotação por nenhum cientista do mundo.”

“Da nossa lista de estrelas, 10 análogos solares são mais lentas que o Sol, e representam, o futuro do Sol. Estas se juntam a já descoberta CoRoT Sol 1, que foi a primeira gêmea solar caracterizada fotometricamente por um satélite e confirmada por observações em terra com o  telescópio SUBARU de 8.2 metros. O telescópio Subaru instalado próximo ao cume da montanha  Mauna Kea, no Havaí, EUA. Neste projeto atual, algumas das estrelas estão sendo observadas já esta semana de Agosto de 2020 no Telescópio Mercator, nas ilhas Canárias (Foto acima). Esta é uma segunda etapa e continuidade do projeto de pesquisa deve revelar um conjunto importantes de outras características destes objetos”.

Link para o Artigo:  https://iopscience.iop.org/article/10.3847/1538-4357/ab9c16

Autores
UFRN Brasil: Eduardo Nunes, Leandro Almeida, Jefferson Soares Matthieu Castro,
USP Brasil Jorge Melendez, Diego Lorenzo, Y. Galarza,
USA CfA-Harvard S. H. Saar , S. Meibom,
Alemanhã Potsdam: S Barnes,
Austria: P. G. Beck


Fotos do  Telescópio Mercator feitas em 5 de Agosto pelo Dr. Paul Beck, co-autor do estudo. É um telescópio de 1,2 m localizado no Observatório del Roque de Los Muchachos em La Palma, Espanha. É operado pela Katholieke Universiteit Leuven (Leuven University), Bélgica, em colaboração com o Observatório da Universidade de Genebra e tem o nome de Gerard Mercator, famoso cartógrafo. O telescópio foi concluído no ano de 2000 para um programa de pesquisa de exoplanetas. Algumas das gêmeas deste projeto estão sendo observadas.

Prêmios SBF de Tese de Doutorado 2016/2017

PPGF tem representantes no Prêmio SBF de Tese de Doutorado 2016/2017. São eles:

  • Prof. Dr. Bruno Carvalho, com a tese “Raman Spectroscopy in MoS2-type transition-metal dichalcogenides”,  orientada pelo Prof. Marcos Pimenta (UFMG).
  • Pós-Doutorando Dr. Diego Paiva Pires com a tese “Geometria da informação quântica: uma abordagem geral acerca do tempo de evolução”, orientada pelo Prof. Diogo O. Soares Pinto (IFSC – USP).

Clique aqui para maiores informações.

Click here to add your own text